equilíbrio entre vida pessoal e profissional
14/09/2020

Existe equilíbrio entre vida pessoal e profissional?

Priscila Belinschi

Se você está no mercado de trabalho, com certeza já se preocupou com o equilíbrio entre sua vida pessoal e profissional. O sentimento de que algum dos lados está em falta é constante para muitas pessoas e certamente encontrar o tão sonhado “meio termo” é um dos objetivos dos profissionais. 

Apesar dos avanços e facilidades da tecnologia, a internet e redes sociais trouxeram a conexão contínua e permanente. Por um lado, temos mais acesso à informação, oportunidade para estar em contato com colegas do trabalho, além de maior rapidez para lidar com múltiplas demandas. Por outro, temos a qualquer momento do dia interrupções, inputs de novos conteúdos, chats com várias pessoas de maneira simultânea e muita, muita distração online, o que significa muito tempo desperdiçado com procrastinação. 

E com tanto a ser feito no campo profissional, a sensação de que há algo faltando e que estamos sempre atrasados é frequente. O que explica parte do “desequilíbrio” que sentimos entre trabalhar, ser produtivo e cuidar de outros aspectos da vida pessoal. 

Afinal, o que é o equilíbrio entre vida pessoal e profissional?

De maneira simplista, podemos pensar no equilíbrio como “entregar as demandas de trabalho no prazo e por conta disso ter mais tempo para cuidar da vida pessoal”. Mas conseguir dividir o tempo adequadamente entre o trabalho e a vida fora dele é um grande desafio para qualquer pessoa. E o conceito de equilíbrio engloba diversos aspectos. 

O primeiro passo para estabilizar as diversas dimensões de nossas vidas é nos conscientizarmos sobre sua importância e prioridade, para então avaliarmos cada uma. Como está sua saúde física? E seu relacionamento com a família e os amigos? Você tem um hobby? Tem tido tempo para se divertir? Tempo para cuidar da espiritualidade? E a saúde emocional? 

Todas essas dimensões influenciam e são influenciadas pela forma com que trabalhamos e pela quantidade de trabalho que temos. A OCDE – Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico criou uma métrica chamada Better Life Index, que compara o tempo de trabalho das pessoas ao redor do mundo. 

De acordo com a organização, o principal aspecto a ser considerado para essa avaliação é a quantidade de horas que o profissional passa no trabalho. No Brasil, 7,1% da população trabalha mais de 50 horas por semana, enquanto na Holanda, apenas 0,5%. Esse excesso pode ser muito perigoso, trazendo consequências sérias como a Síndrome de Burnout, causada pelo excesso de estresse derivado do trabalho. 

Chegar ao “desequilíbrio” extremo pode afetar os relacionamentos fora do trabalho, a saúde física e mental, além de diminuir consideravelmente a produtividade. O oposto, por outro lado, é a sensação de bem estar, a busca da integração entre carreira e vida pessoal

O equilíbrio está em ter apenas uma vida

Como integrar da melhor forma a vida pessoal e profissional? Talvez a resposta esteja justamente em não tentar “equilibrar” os dois aspectos, mas sim em integrar ou atender todos as dimensões que fazem parte da sua vida. 

A busca constante pelo equilíbrio entre a vida pessoal a vida profissional e a eterna frustração de não conseguir dividir perfeita ou igualmente o tempo pode também ser um fator de estresse. Por isso, o mindset ideal é o de levar apenas uma vida, pensando em como melhorar a qualidade de tudo o que se faz. 

Um bom exemplo, cada vez mais utilizado no Ocidente, é o mindfulness, uma técnica baseada na atenção plena para o que estamos fazendo, seja no trabalho ou fora dele. Um estado de atenção e respeito ao timing das coisas, a busca do centro de estabilidade e aprofundamento em termos de consciência e presença nos diferentes momentos do dia. O que se conecta com a ideia de fazer com qualidade o que nos propomos a fazer.

Outro ponto interessante é entender o propósito ou razões por trás do que fazemos. Exemplo: por que estou trabalhando nessa área e nessa empresa? Por que estou priorizando tanto meu trabalho em detrimento da vida pessoal? 

Entender o porquê e alocar a devida importância equivalente a diferentes aspectos de nossas vidas nos permite tentar viver mais plenamente os momentos e, consequentemente, não deixar “de lado” nenhuma esfera importante. Exemplo: marque na agenda a apresentação de balé da filha e priorize isso com o mesmo comprometimento com que comparece a uma reunião de trabalho com seu chefe.

O oposto também é válido, chegue no escritório com a mesma abertura que tem ao conversar com os amigos e entenda que não só no lazer é possível ter momentos prazerosos. Afinal, o trabalho pode ser fonte de realização e crescimento, o que também impacta a vida pessoal por conta da autoestima.

O fato é que temos apenas uma vida e as diferentes dimensões desta vida devem ser complementares, e não conflitantes. Trate o trabalho e a vida pessoal como partes de um todo que deve ser integrado. Lembre que este todo é sua vida. Ou você mesmo.

Texto publicado originalmente no site da Proposito/TRANSEARCH.

Compartilhe