Entenda-sobre-Processo-Seletivo
15/07/2022

Processo seletivo: a melhor maneira de abordar os pontos fortes e fracos

Priscila Belinschi

Por mais confiante que uma pessoa seja, muitos fatores podem atrapalhar o desempenho durante o processo seletivo.

A famosa pergunta dos recrutadores: me fale alguns de seus pontos fortes e fracos no âmbito profissional, mexe com qualquer um, inclusive com profissionais que estão há anos no mercado e se sentem defasados quanto às tendências do momento.

Por mais que a pessoa tenha a resposta pronta na cabeça, é preciso passar confiança e saber abordar o conteúdo para não soar de forma arrogante ou leviana.

Para ajudar os candidatos nessa hora tão decisiva, trouxemos no texto de hoje algumas informações para contribuir com o processo seletivo. Continue a leitura e confira!

Por que saber sobre os pontos fortes e fracos?

No processo seletivo, o principal motivo por trás da famosa pergunta sobre os pontos fortes e fracos de um candidato, é conhecer melhor a pessoa no ambiente corporativo e qual é a sua postura diante de determinadas situações.

Outro objetivo do recrutador é entender o quanto o colaborador tem de autoconhecimento e se a sua inteligência emocional é desenvolvida. Quando a pessoa tem um bom conhecimento sobre si, ela tem autonomia para fazer uma autoanálise dos feedbacks contínuos recebidos no trabalho e sabe buscar por aprimoramento diante de críticas construtivas feitas por chefes e superiores.

É de grande importância ao responder essa pergunta, seja de forma oral ou escrita, o candidato não disfarçar qualidades positivas como defeitos. Por exemplo, o perfeccionismo, essa característica já caiu no gosto popular, ao responder isso quando cita os pontos fracos, o recrutador pode achar que você não sabe construir uma narrativa forte sobre si.

Lembre-se que você é uma pessoa única e especial, portanto explore mais a sua carreira e traga para este momento do processo seletivo pontos que te destaquem da concorrência e não que te façam ser como mais um dentre tantos outros candidatos.

 

 

Como-se-sair-bem-no-processo-seletivo

Como-se-sair-bem-no-processo-seletivo

Alguns exemplos para ajudar no processo seletivo

Embora cada indivíduo tenha seus pontos fortes e fracos diante do ambiente corporativo, tem algumas características que são unânimes. De acordo com um estudo realizado pelo jornal britânico Sunday Times com mais de 3 mil ingleses, o medo de falar em público é um ponto fraco que mais acomete as pessoas (41%).

Confira outros pontos fracos que você pode se inspirar para abordar durante o processo seletivo.

• Pontos fracos:

– Procrastinação;
– Insegurança;
– Autocrítico em excesso;
– Prefere não correr riscos;
– É desorganizado.

Gostaríamos de ressaltar que é importante salientar o que você tem feito para minimizar tais pontos. Não deixe apenas o lado ruim da situação pairando no ar. Fale também que por reconhecer esse ponto fraco, está se esforçando para melhorar e criando métodos para extinguir ou lapidar isso.

E quando o assunto são os pontos fortes, também é preciso cautela. Quando pedem para falar no que somos bons a emoção pode falar mais alto e de vez em quando, o excesso de confiança pode soar com arrogância, por isso saber elaborar os pontos fortes também é fundamental.

Veja alguns que você pode abordar durante o processo seletivo.

 

Saiba-abordar-seus-pontos-fortes-no-processo-seletivo

Saiba-abordar-seus-pontos-fortes-no-processo-seletivo

 

• Pontos fortes:

– Criatividade;
– Proatividade;
– Inovação;
– Consegue resolver problemas com facilidade;
– Atento aos detalhes;
– Boa comunicação;
– Empatia;
– Consegue liderar se for preciso.

Descobrir os pontos fortes e fracos para falar no processo seletivo não é tão difícil quanto imaginamos. Você pode perguntar para colegas de trabalho que você confia, pode pedir ajuda de um profissional da área psicológica e também pode fazer uma lista com base em algumas perguntas:

> No que eu sou bom na rotina de trabalho?
> Por quais características eu já fui elogiado?
> Por quais motivos eu já fui contratado ou promovido?
> Quais tarefas eu executo sem ficar entediado?
> Por quais razões eu já fui demitido?
> Por qual motivo eu recebi feedback negativo?
> Quais atividades me deixam sem energia?

Após essa autoanálise, faça uma coluna para os pontos fortes e outra para os pontos fracos. Depois que tudo estiver anotado, pergunte a outras pessoas para ver se a opinião deles se assemelham com as suas.

Dessa forma você conseguirá alinhar o que é positivo e negativo no seu comportamento profissional e terá propriedade na hora de abordar o tema diante de um recrutador no processo seletivo.

Compartilhe